Notícias

O engajamento social de Tiago

Tiago Kretzmann


Entrevista 

 

O Instituto Jama existe para as pessoas que precisam de apoio e incentivo para seu desenvolvimento. Sabemos o poder de transformação que a educação tem neste sentido e, portanto, nossas ações e inciativas são vinculadas a entidades e organizações que prestam este tipo entrega.

O Instituto Jama é feito por pessoas que se reúnem, analisam e selecionam projetos que tem aderência aos seus valores e aos eixos que estruturam suas atividades. Neste formato opera o Conselho Deliberativo do Instituto, do qual nosso entrevistado Tiago Kretzmann faz parte desde 2020.

Fomos conversar com Tiago para entendermos melhor sobre sua atuação e sua percepção sobre ações sociais. Tiago contou que a sua aproximação com trabalho voluntário começou bem cedo, aos 22 anos, influenciado pela sua mãe. Desde o momento em que percebeu que “independentemente do formato, a sua contribuição fazia diferença na vida de uma pessoa, de uma família e até mesmo de uma comunidade”, não parou mais de se envolver em causas de auxílio ao próximo.
O primeiro projeto amplo que participou oficialmente foi o Amor Exigente, que consistiam em encontros presenciais com familiares de dependentes químicos.

Hoje ele está envolvido diretamente em alguns projetos e não tão diretamente em outros e, é isso que ressaltamos da fala de Tiago, pois muitas vezes gostaríamos de nos envolver com um trabalho voluntário, por exemplo, mas, com o dia a dia corrido, nos frustramos de não darmos conta inteiramente e acabamos desistindo.

Por essa razão, Tiago foi criando seu próprio estilo de atuação em causas sociais que mesclam maior envolvimento, como membro do Conselho da Santa Zita de Lucca, associação beneficente, e do Projeto Primeiro Saque, da Prefeitura de Canoas, com ações pontuais: entrega de marmitas na Vila dos Papeleiros e organização de campanhas de arrecadação na ONG Renascer da Esperança.

Tiago diz que assim consegue estabelecer uma rotina possível de acompanhar e acredita também que a rede que se cria, com outras pessoas se alternando na linha de frente dos trabalhos, faz com que a dinâmica se sustente e tenha continuidade, o que para ele é muito importante.

É visível a emoção do Tiago quando lembra de momentos nos quais encontrou pessoas em situação de vulnerabilidade, entre as quais crianças que se mostram extremamente agradecidas pelo fato de ele estar ali proporcionando alguma troca, seja apenas a escuta ou a entrega de recursos. E ele afirma que o sentimento de gratidão transcende a quem recebe, e que justamente o “se sentir pertencente a algo maior” o leva a acreditar no poder de mudança que temos: “a partir de uma ação, por menor que pareça, seu resultado pode ser exponencial e, melhor ainda, contagioso”. Tiago tem vários grupos de amigos que também estão envolvidos em causas sociais e está convicto de que quanto mais pessoas sentirem este “pertencimento positivo” mais nossa realidade será influenciada e modificada para superar a desigualdade social.