Notícias

Construindo o futuro da educação

Lemann e Khan na videoconferência

 

- Para cada Einstein ou Marie Curie, quantos se perdem na multidão?


Com essa pergunta, que ele mesmo respondeu, o norte-americano-bengali Sal Khan, criador da célebre Khan Adademy – a maior plataforma online de educação livre do mundo – justificou o seu propósito de atingir um público de 1 bilhão de pessoas com os vídeos educativos que sua organização produz. Ele começou a distribuir aulas pelo YouTube para ajudar sua prima e outros parentes e amigos. Hoje, tem reconhecimento mundial como educador e como responsável por um método de ensino conciso, prático e descontraído, que caiu no agrado de estudantes em todos os continentes.


Sua explanação sobre o uso de ferramentas digitais para acelerar o aprendizado de alunos de todas as idades ocorreu durante a conferência de vídeo que manteve na quarta-feira, 13, com o empresário brasileiro Jorge Paulo Lemann, também um investidor em educação filantrópica e divulgador da Kan Academy no país. Os dois dialogaram durante cerca de uma hora sobre o uso da tecnologia na educação durante a atual quarentena e sobre o futuro do ensino pós-pandemia. E concluíram que a atual crise vai ajudar a massificar a conectividade e o ensino à distância, sem reduzir a importância do professor como facilitador e orientador.


- O professor continuará sendo o maestro da orquestra – assegurou Khan.


Uma das inspirações do Instituto Jama com as suas fundações Lemann e Educar, além do Instituto Tênis, todos voltados para a oferta de oportunidades para crianças e jovens, o empresário brasileiro disse durante a videoconferência transmitida pelo G1, portal de notícias da Globo, que a educação é o caminho para superar as lacunas sociais no Brasil e que o uso da tecnologia permitirá que o ensino chegue cada vez mais a um público que hoje está desassistido.